12/12/2017 12:55:15 | Atualizado em 19/10/2016 14:51:12

A contribuição da psiquiatria para uma melhor qualidade de vida

Uma importante área da Medicina, a psiquiatria tem como principal objetivo aliviar o sofrimento psíquico do paciente.

Dr. Rôneo Reis Machado, psiquiatraUma importante área da Medicina, a psiquiatria tem como principal objetivo aliviar o sofrimento psíquico do paciente. A especialidade ainda auxilia na prevenção, no diagnóstico, no tratamento e na reabilitação de variadas condições que afetam a saúde mental, comportamental e emocional.
Em entrevista à Revista Corpo & Mente, o Dr. Rôneo Reis Machado, psiquiatra de Dourados, explica as contribuições da avaliação psiquiátrica para se viver com melhor qualidade de vida.

Corpo & Mente Quais as principais condições em que a psiquiatria atua?
Rôneo Machado Este é um campo muito amplo de atuação, pois se dedica ao estudo, diagnostico, prevenção e tratamento de patologias de um órgão altamente complexo e dinâmico, como o cérebro, que é responsável por todas as nossas ações não apenas motoras, como também as psicológicas. 
Felizmente há uma ampla gama de profissionais, tais como médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, terapeutas ocupacionais, psicopedagogos e outros, que atuam em conjunto e de forma complementar visando o exercício de um olhar amplo e abrangente sobre os problemas humanos ligados à saúde mental nas diversas fases da vida.

C&M Como é feita a avaliação do paciente?
R.M. Frente a um paciente com transtorno psiquiátrico, a avaliação é o ato mais complexo e importante para o sucesso do tratamento. É imprescindível considerar todos os fatores que compõem a sua existência, como as perspectivas de vida, as atitudes psicológicas e a forma de se relacionar sociavelmente, além de investigar seu histórico pregresso de tratamento e o uso de drogas licitas ou ilícitas. Também são necessários exames físicos e complementares, como os laboratoriais de imagem, para uma completa avaliação.

C&M De que forma é possível identificar uma necessidade de orientação por um psiquiatra?
R.M. A iniciativa de procurar um psiquiatra ou outros profissionais ligados à saúde mental geralmente não é fácil. Passa-se por uma série de mitos, preconceitos e estigmas. A primeira ideia que vem à cabeça é: “mas eu não sou louco”. Então é preciso esclarecer que nós não trabalhamos apenas com doentes em surto psicótico, que estejam delirantes ou com alucinações. Tratamos de ansiedade, depressão, instabilidade, irritabilidade e agitação. Enfim, cuidamos de pessoas que estejam passando por sofrimento psíquico ou que tenham comprometimento no convívio social, familiar, escolar, atividade laborativa e/ou afetiva.

C&M Quais os tratamentos mais utilizados?
R.M. Podemos dizer que didaticamente o tratamento psiquiátrico se divide em duas categorias. A primeira é o tratamento psicofarmacológico, baseado no uso de fármacos psicoativos. A segunda é a psicoterapia, como a psicanálise, a terapia cognitivo comportamental e a terapia ocupacional, entre outras. Mas é preciso ficar claro que esta divisão é apenas didática, pois a prática é muito mais complexa. Precisamos ser sensatos e realistas, deixar a velha discussão que colocava estas modalidades terapêuticas em lados opostos, aceitando que o tratamento baseado na união da psicofarmacologia com a psicoterapia, em suas diversas modalidades, é mais eficaz que qualquer um deles utilizados separadamente.

C&M Como esses tratamentos contribuem na melhoria da qualidade de vida?
R.M. Assim como é ampla a gama de patologias psiquiátricas, os benefícios do tratamento também são inúmeros. Como exemplo, podemos mencionar desde a melhora no aprendizado e no comportamento escolar, passando pela prevenção ou recuperação de patologias mais características de adultos, como a ansiedade, a depressão, as psicoses, o uso de drogas e até na recuperação do sono e melhora da memória em pessoas mais idosas. Não se deve esquecer ainda dos benefícios que podem ser alcançados ao nível das interações interpessoais, para melhorar a nossa capacidade de viver pacífica e harmonicamente em sociedade.


Rôneo Reis Machado
CRM-MS 7517
Médico formado em 2008 pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (FURG)
Residência Médica em Psiquiatria na Associação de Caridade Santa Casa do Rio Grande, Rio Grande – RS

Comentários