12/12/2017 12:48:12 | Atualizado em 11/04/2017 18:14:15

Pilates na hérnia de disco

Entre os benefícios, a técnica promove estabilização da coluna e fortalecimento muscular

Fisioterapeutas Fernanda Alencar e Evelyse Thiê Ishiy / Foto: Aparecido Frota

O desequilíbrio osteomuscular é hoje considerado o maior causador de compensações musculares, dores e problemas de coluna. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 90% da população sofre, sofreu ou sofrerá de problemas da coluna. Mas, na maioria dos casos, o paciente sente dores insuportáveis sem saber ao certo o que está acontecendo. Dentro desta estatística de causas, pode-se considerar que 5,4 milhões de brasileiros que sentem dor lombar sofrem de hérnia discal nesta região da coluna, o que, muitas vezes, torna-os incapazes de realizar atividades simples, da vida diária, evoluindo, então, para perda de qualidade de vida.

Normalmente, a hérnia de disco surge devido à força da gravidade, tensão do dia-a-dia, vícios/desvios posturais, envelhecimento ou por movimentos repetitivos. Estes diversos pequenos traumas lesam as estruturas do disco intervertebral, podendo ser assintomáticos ou não, dependendo da localização, tamanho, grau, tipo e envolvimento de raízes nervosas.

Fisiologicamente, na hérnia de disco, o espaço entre as vértebras da coluna diminui e o disco é pressionado e até mesmo desgastado. Quando este desgaste é muito grande, pode ocorrer uma ruptura no anel (a parte externa do disco), deslocando o núcleo discal para fora. Geralmente esse fragmento do disco que escapa comprime alguma raiz ou raízes do nervo, causando dor e/ou formigamento, mais comum nas pernas e braços.

A busca e a prática do Pilates na reabilitação vêm sendo cada vez mais frequentes pelo fato de a técnica promover a estabilização da hérnia de disco. O método se fundamenta, dentre vários aspectos, no centro de força do corpo, que inclui o complexo lombar pélvico e dos quadris.

Resumidamente, o alongamento de cadeia muscular posterior, proporcionado pela prática do Pilates, gera um ganho de espaço intervertebral e hidratação do disco. Este espaço é mantido com o fortalecimento do abdômen e estabilização do tronco, fazendo com que o indivíduo tenha diminuição do quadro de dor e melhora da qualidade de vida. O tratamento da hérnia de disco pode ser dividido em fases, dependendo do seu limiar de dor:

Objetivos de aula (Fase 1):

  • Alívio das dores
  • Recuperar mobilidade de coluna
  • Aumento do espaço intervertebral
  • Estabilização do tronco
  • Alongamento axial
  • Melhora da qualidade de vida

Objetivos de médio e longo prazo (Fase 2):

  • Fortalecimento muscular abdominal
  • Fortalecimento muscular de eretores da espinha e transversos
  • Fortalecimento muscular global
  • Aumento da flexibilidade de tronco
  • Alongamento de cadeia posterior
  • Alongamento de cadeia anterior
  • Manutenção do quadro sem dor

Não há nenhuma restrição quanto à prática regular dos exercícios por quem sofre com a hérnia de disco, seja na fase aguda, subaguda ou crônica, desde que seja orientada por um profissional qualificado, que buscará a progressão dos exercícios específicos para cada fase.

Comentários